Rafael Nacif veio viver para Cascais há pouco mais de uma no. Comprou um pequeno prédio no centro histórico e decidiu restaurá-lo. A partir daqui nunca mais parou: de Alfama ao Cacém, tudo o que compra é para remodelar e depois vender ou alugar.

Da agricultura ao setor da eletricidade, passando pela responsabilidade social, ainda há tempo para umas provas de triatlo radicais. Eis Rafael Nacif, empresário brasileiro radicado em Cascais mas que estende a atividade por uma holding global, na qual não faltam hotéis, empresas de serviços, projetos solidários, e até plantações de bambu.

Com o objetivo de apoiar a reabilitação de meninos-escravos do Gana, o empresário brasileiro Rafael Nacif - que compete no Ironman, uma versão de triatlo em longas distâncias - vai correr hoje a prova de Triatlo de Lisboa, a "King Of Sea", envergando uma camisola alusiva à causa, de forma a sensibilizar a opinião pública para o tema.

Com o objetivo de apoiar a reabilitação de meninos-escravos do Gana, o empresário brasileiro Rafael Nacif - que compete no Ironman, uma versão de triatlo em longas distâncias - vai correr hoje a prova de Triatlo de Lisboa, a "King Of Sea", envergando uma camisola alusiva à causa, de forma a sensibilizar a opinião pública para o tema.

É um jovem investidor empresário que ganha dinheiro no ramo imobiliário com a recuperação de casas - é CEO do Grupo Patagora -, mas que não se deixa definir apenas pela sua veia profissional. Rafael Nacif, luso-brasileiro, vive em Portugal desde é também um atleta que se dedica a várias causas sociais, mas a uma em particular: os meninos-escravos do Gana, em nome dos quais a jornalista Alexandra Borges criou a ONG Filhos do Coração.

© GRUPO PATAGORA INVESTIMENTOS

WORKMOVE